Vestibular: O que evitar na Redação

Um dos maiores vilões na eliminação dos candidatos a uma vaga na universidade é a redação. Veja alguns erros mais comuns para evitar na hora de redigir a sua!

Redação no Vestibular

Nos cursos de maior concorrência é justamente a redação o fator de desempate na disputa pelas vagas. O motivo que leva as instituições a dar tanta importância nas redações dos vestibulares é simples: para estudar em um curso superior, o estudante precisará mais do que conhecimento teórico, precisa também comprovar domínio na comunicação escrita…..

O ato de redigir um texto requer uma série de habilidades que são testadas na redação: o conteúdo precisa ser conciso, coeso, estar dentro da temática solicitada na prova, o candidato precisa estar por dentro das regras da gramática e o mais importante, o candidato precisa saber se expressar. Não é à toa que as empresas de recrutamento e seleção utilizam a redação para avaliar candidatos na entrevista de emprego. De maneira generalista, a redação do vestibular testa a sua capacidade de sobreviver no mercado de trabalho.

Pode parecer até injusto com quem não tem muito jeito com as palavras, mas algumas pessoas levam mais jeito em redigir do que outras. Mas, superar esta dificuldade não é um bicho de sete cabeças: com bastante estudo, concentração e prática, todos podem estar aptos a redigir as redações dos vestibulares.

Você pode até não saber bem qual a temática da redação, mas tenha em mente o que evitar para não ser eliminado no momento da correção do texto:

Fugir do tema

Foco na temática proposta do comando da pergunta. Quem não obedece ao tema da redação leva zero na prova! Pode até parecer óbvio, mas o fato é que esta é uma das competências de avaliação pelas instituições e muitos estudantes acabam se perdendo do tema no meio da redação ou até pior: não escrevem nada que tenha relação com o tema proposto.

Algumas instituições como o Enem, oferecem textos de apoio para gerar referências nos alunos, além do próprio enunciado da questão. Não é raro que, em meio a tantas questões da prova do vestibular, o candidato acabe deixando de lado esses textos, acreditando que consiga se orientar apenas pelo enunciado. O resultado pode ser catastrófico.

As famosas “pegadinhas” podem dificultar as questões da prova, por isso é bom estar atento para o enunciado. Ler ou interpretar ao menos uma palavra do enunciado de maneira errada pode tangenciar sua redação.

Usar gírias e “internetês”

Nos dias de hoje é quase impossível que os estudantes não usem gírias em conversas informais. Mais difícil ainda é não se render à praticidade de digitar uma palavra usando o tal do internetês. É válido lembrar que tanto gírias quanto internetês tornam o texto pobre e mostra ao avaliador que o candidato não tem domínio das dissertações formais.

Para se destacar e não cair nesta armadilha, procure substituir a gíria por um termo formal da mesma equivalência. Tenha em mente uma palavra que possa substituir uma gíria em mente para não ser pego desprevenido na hora de redigir a redação.

Na época de realizar o vestibular, treine sua escrita em mensagens e posts na internet. Tente deixar de lado as abreviações como o “vc”, “tb” e “td”. Procure também utilizar as acentuações e pontuações frequentemente, mesmo quando estiver apenas teclando com um amigo. Assim você exercita a sua mente e treina a escrita.

Usar o gênero de texto diferente do solicitado

O candidato deve se atentar ainda ao gênero textual solicitado na prova. Algumas instituições podem pedir para que o candidato escolha o gênero da redação, mas outras fecham o tipo de texto a apenas um gênero. Por isso, é importante que os estudantes aprendam a diferençar os gêneros textuais, principalmente os mais comuns em exame vestibulares: dissertação, narração, carta, etc.

Enquanto que a dissertação tem como objetivo a defesa de um ponto de vista devidamente embasado e argumentado; a narração utiliza-se de histórias com enredo e personagens, no qual o narrador pode ou não estar presente na história. Geralmente utiliza-se a terceira pessoa do singular para narrativas.

Geralmente a carta é exigida em formato dissertativo nas redações de vestibulares, devendo o candidato obedecer às regras de estilística e linguagem para este formato, como a indicação de data e local no cabeçalho, destinatário e assinatura.

Linguagem rebuscada desnecessariamente

Muitos candidatos acreditam que a linguagem formal exigida das provas escritas deve ser rebuscada, com termos difíceis e prolixos. O resultado disso são textos complicados de entender e termos mal empregados que dificultam a leitura.

Recomenda-se que a prova seja escrita com palavras que os candidatos dominem, evitando rebuscar o texto. O segredo para não cair neste erro é não inventar para evitar erros.

Errar na ortografia e concordância

Um dos motivos para não utilizar a linguagem prolixa em textos da redação é a possibilidade de escreve-las de maneira errada. E isso vale também para qualquer palavra da sua redação. Se tiver dúvidas em como escrever alguma palavra na hora do exame, procure um termo que possa substituir esta palavra no contexto.

Problemas na concordância costuma ser o calcanhar de Aquiles de muitos candidatos. O segredo para correr deste erro é ter em mente que o verbo deve concordar com o núcleo do sujeito e nem sempre o verbo concorda com a palavra que vem logo após ele.

Atente-se ainda para a utilização do novo acordo ortográfico da língua portuguesa. Os avaliadores das provas já penalizam os candidatos que ainda não se adequaram às mudanças da gramática.

Escrever com letra ilegível

Cada vez mais as pessoas utilizam-se do teclado do computador ou celular para escrever os textos, o que acaba deixando a caligrafia um pouco destreinada. Mas, as redações são feitas com letras de punho e o avaliador precisa compreender o que está escrito. Se o candidato não tem uma caligrafia adequada é valido que treine bastante.

Outro motivo pelo qual a letra torna-se ilegível é a tensão gerada na prova e a pressa em terminar logo a prova escrita. Cuidado, esses itens podem se tornar uma armadilha.

Não obedecer a uma ordem de pensamento

Uma boa redação precisa obedecer a introdução, desenvolvimento e conclusão. Começar uma redação já com o desenvolvimento e escrever o texto introdutório no final do conteúdo pode confundir a linha de raciocínio e prejudicar o enredo do texto. Se for o caso, escreva um rascunho para organizar o pensamento e onde cada informação deverá ocupar no texto para evitar problemas com o contexto.

Aproveite ainda para escolher quais as informações pertinentes para compor o texto e quais as que não serão bem empregadas para não deixar a redação repleta de informações aglutinadas que não colaboram com a compreensão e com o enunciado.

Para acertar em cheio da redação

Essas e outras dicas estão no Curso de Escrita e Redação desenvolvido pelo Curso 24 Horas. Com este módulo é possível acompanhar as dicas, exercícios e exemplos desenvolvidos especialmente para provas vestibulares e Enem. O curso é totalmente online e conta com professores disponíveis a qualquer hora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s